Depoimentos 2020-04-07T10:00:27+00:00

Depoimentos

Loan – Campo Mourão/PR

Meu nome é Loan, tenho 28 anos, sou paranaense da cidade de Campo Mourão. Descobri a psoríase em torno dos 23 anos, com uma pequena lesão no cotovelo, a princípio demorei um pouco para ir ao médico. Depois que finalmente fui a consulta descobri o que tenho, desde então tenho tratado com consultas de tempos em tempos, geralmente, a receita são antibióticos e uma pomada com corticoide por pouco tempo e outra pomada para controlar no dia a dia. Com o passar desses breves anos a doença surgiu no coro cabeludo, e recentemente a psoríase invertida, o seja, nos órgãos genitais, ela modifica uma pouco a característica em relação das outras partes do corpo, quase não surgem cascas nas lesões, mas no local a pela fica bem branca. Bom, já passei dias difíceis por conta dessa doença, quase fui vencido, mas Deus como sempre, me fortaleceu para aceitar essa doença, é o que faz toda a diferença no final, aceitar a doença e aprender a conviver com ela! . Uma vez portadores da psoríase temos que entender que não tem cura,então temos que aprender a conviver com ela. Particularmente, encaro a psoríase como uma adversária que preciso vencer diariamente, e temos sempre dois duelos significativos o 1º é o aparecimento de novas lesões ou aumento das que já tenho, sempre deixei nas mãos dos remédios essa função, porém, graças aos “Amigos da psoríase” aprendi que também temos que fazer a nossa parte, (gostaria de aproveitar e agradecer a fundadora Thays por esse trabalho que nos ajuda muito),sendo assim, estou estudando mais a doença agora e buscando hábitos que ajudam com as lesões, como: hidratar o corpo, comer bastante frutas, tomar sol moderadamente, banho sempre gelado, porém apesar dos meu esforços as vezes a psoríase pode vencer o primeiro duelo, o seja, a lesão pode piorar ou não, concluindo não dependo só de mim, tenho que fazer meu melhor, porém aceitar o resultado. E tem o 2º duelo, esse considero o mais importante, meu estado de espírito, todo dia tenho que lutar contra a psoríase para não perder a paz, o humor, a alegria e o amor pelas coisas, tem dia que é difícil, mas ao contrário da 1º disputa, essa só depende de mim, então tenho que vence-la todos os dias, e com a graças de Deus estou conseguindo. Resumindo a disputa, amigos, são dois 2 duelos, o primeiro não depende de nós, então podemos ganhar ou perder, o segundo, depende de nós, então podemos ganhar todo dia, sendo assim, a disputa sempre será 1 x 1 ou 2 x 0 para gente =). Meu tratamento atual é a pomada Tartic no cotovelo e a pomada Nistatina + óxido de zinco (pomada para assaduras de bebê) para regiões íntimas, para o coro cabeludo não estou passando nada no momento, mas quero pesquisar sobre e conversar com o médico na próxima consulta porque sinto que está piorando. Quero terminar com uma oração que me ajuda nos dias difíceis. Oração da serenidade, concedei-me, Senhor a serenidade necessária para aceitar as coisa que não posso modificar, Coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para conhecer a diferença entre elas. Vivendo um dia de cada vez, desfrutando um momento de cada vez. Aceitando que as dificuldades constituem o caminho à paz. Aceitando, como Ele aceitou este mundo tal como é, e não como eu queria que fosse. Confiando que Ele Acertará tudo, contanto que eu me entregue à Sua vontade.Para que eu seja razoavelmente feliz nesta vida e supremamente Feliz com Ele eternamente na próxima.

Márcia

Oi meu chamo Marcianeto fui diagnosticada com artrite psoriasica
Eu tinha 32 anos já se passaram 13 anos aprendendo a conviver com a doença no começo foi difícil, tive crise Onde a psoriase se espalhou pelo corpo todo. Fiquei uma ano e meio sem trabalhar. Mas graças a Deus essa fase passou depois do tratamento com medicação biológica tudo mudou. Hoje trabalho, faço hidroginastica tenho uma vida quase que normal.

Analu

Meu nome é Analu tenho 33 anos, eu descobri que tinha psoríase a uns 10 anos. No começo eu até conseguia controlar com umas pomadas indicada pelo dermatologista; mas de uns meses pra cá não estou conseguindo controlar. Tenho nos cutuvelos, joelho e em algumas partes da cabeça, quando estou muito ansiosa é que aparece mais. Queria muito algo pra terminar com essas placas pois me incomodam bastante.

Maria

Minha filha foi diagnosticada aos 4 anos mas nunca teve reação aos nova atacou de uma tal maneira q foi da cabeça dos pés fiz um longo tratamento ainda bem q na época tinha convênio médico ela melhorou depois com 14 atacou novamente ai vieram os problemas de preconceito na escola ai ponto de eu ter q atestar ela na escola por um mês no final do ano por causa do preconceito de pessoas ignorantes q não sabem o q e é bem se dão ao trabalho de saber agora com 16 ela mesma ja desencanou da psoríase esta normal mesmo qdo ataca e dela é emocional e antibiótico mas ja estamos agora sabendo como lidar com isso pomadas carissimas e hidratantes protetores solares e etc… Mas n desisto da luta para acabar com o preconceito e ter tratamento na rede pública pq dessa última graças a Deus com a ajuda de familiares ainda consegui tratar particular.

Fernanda

Olá, fui diagnosticada com psoríase aos 19 anos, sofri muito, uma história parecida com tantas outras, muitos medicamentos etc mas consegui vencê-la ou dominá-la com o uso do cloreto de magnésio o qual conheci através da internet em inúmeros depoimentos. Pesquisem. Boa sorte à todos! Fé e perseverança!

Jane

Olá meu nome é Jane, tenho 36anos e a 8 anos descobri que tenho psoríase. Minha vida mudou completamente. Mexeu demais com a minha autoestima, deixei de usar as roupas que amava como: vestidos, bermudas, shorts, biquinis. O preconceito é voraz das pessoas que não conhecem sobre a doença, que não é contagiosa. Ainda sofro pois não descobri um medicamento e hidratante eficaz para o controle, mas continuo na luta e não vou desistir.

Cláudio

Olá meu nome e claudio e fui diagnosticado com psoriase aos 8 anos,hoje com 34 me sentia cansado de lutar contra a pisoriase de gastar dinheiro e tempo e nao ter resultado apesar de minha doença ser considerada leve mas e muito constrangedora pois aparece no rosto e nas costas, agora decidi nao usar mais corticoides faz mas de 30 dias que venho fazendo o mais simples dos tratamentos a exposiçao do corpo ao sol por breves 20 min dia todos os dias que possivel durante o horario do almoço qdo o sol e mais forte estou muito satisfeito com os resultados ja quase nao percebo mais as manchas e a descamaçao cessou e o melhor nao estou tendo nem um efeito colateral.espero que isso ajude vcs deus abencoe a todos.

Mari

Oi Gente. sou a Mari, fui diagnosticada com psoríase aos 8 anos de idade, acredito eu que foi devido ao falecimento do meu pai, uma infância um pouco vazia, enfim… até então era uma pequena casquinha próximo da nuca, sumiu, e depois de muitos anos, apareceu agora aos 21, consequentemente acompanhada de muito nervoso e ansiedade, sou uma pessoa ansiosa, que sofre por tudo, pelo que aconteceu, pelo que não aconteceu, planejo tudo, crio tudo, fantasio tudo…. Minha gestação e o primeiro ano do meu filho foi muito turbulento, e o fato de ter guardado muito sapo, a psoríase voltou, e voltou MUITO pior, minha cabeça INTEIRA esta tomada, próximo aos ouvidos, testa, nuca, não posso amarrar o cabelo se não aparece, tenho nos cotovelos e estão ficando cada vez maiores, agora passou para seios e barriga, antigamente não sentia dor e nem coceira, agora coça demais.<br>Devido a muito tempo me enganando com remédios de corticoides, o famoso efeito rebote, nunca acreditava mas agora, acredito… Tenho um grave problema em não tomar banho quente, eu amo água quente não consigo morno, piorou gelado, apenas no calor… e vou iniciar em breve o tratamento de puva, espero em Deus que melhore pois cada dia que passa me sinto mais constrangida, as pessoas olham, perguntam o que é, umas zoam, eu fico com vergonha, se eu usar blusa preta fica cheia de casquinha…. enfim… :/ Volto aqui para contar sobre o tratamento.

Ruth

Boa tarde! Meu nome é Ruth tenho 37 anos, moro em Brasilia, tenho psoríase desde os 20 anos, quando descobri que tinha Artrite. Meu corpo não parava de doer e ficava totalmente inchado. Me senti muito triste com as dores da artrite. Com o passar do tempo mais ou menos 06 meses apareceu uma mancha branca no couro cabeludo próximo a testa, minha reumato pediu uma biopsia e descobriu psoriase, no inicio não sabia o que era mais depois fui buscando e descobri o porque que havia aparecido. É dificil… pois está no meu couro cabeludo. Muita dor, sangra e muita coceira. Já tentei de um tudo sei que vou conseguir acho que alivia algum dia. Passei a conviver tentando deixar meu estado emocional mais tranquilo, para conseguir viver bem. Após alguns anos apareceu em outras partes do corpo… ta dificil mais tenho que continuar tentando. Vi no grupo voltado a psoriase que vitamina D era bom to usando vamos ver iniciei em 21/06/2017.

Tânia

Olá meu nome é Tania não tenho psoriase mas boa parte da minha famila tem e acredito que um dia eu possa vir a ter também, mas estou pelo meu pai vejo a luta que é ter essa doença ele tem pelo corpo todo é muito dificil pra olhar é não poder curar ele fazer tudo sumir. Eu queria saber se tem grupo no whats pra compartilhar produtos que estão usando e que estão ajudando eu sei que não tem cura mas quero poder passar pra ele coisas que estão ajudando outras pessoas e que talvez ajude ele também. Ele faz acompanhamento pelo sus mas eles passam somente os comprimidos. Se puderem compartilhar comigo o que usam ficarei muito grata.

“Meu nome é Thays e sou fundadora do Amigos com Psoríase. Tenho 39 anos, meu marido se chama Alberto e moramos em SP capital. Tenho psoríase desde os 12 anos de idade. Minha doença surgiu após a dolorosa separação dos meus pais e desde então tenho tentado controlar a psoríase. Assim como a maioria de vocês, usei todo tipo de medicamento sem sucesso. Como a maioria dos portadores sofri muito com o preconceito e confesso que só obtive a melhora depois que compreendi que a psoríase não é minha inimiga, mas sim um desafio a ser vencido. Percebi um dia que brigar com a psoríase só fazia piorar, então eu passei a cuidar ainda mais de mim, do meu corpo e principalmente da minha mente. Aceitei que tinha psoríase e não vi mais a doença como um mal, apenas como um ensinamento.”

Thays - Fundadora Amigos com Psoríase

CONTE A SUA HISTÓRIA!

  1. LUIZ CARLOS

    Responder

    ola meu nome é luiz sou de são paulo tbm tenho essa doenca ja fiz varios tratamentos e agora estou tentando o mais inovador
    estou comecando me tratar com Microfisioterapia dizem que psoríase tem td a ver problemas emocional principalmente quem sofreu alguma separacao e nao conseguiu superar

  2. ADRIANA

    Responder

    Minha filha está sofrendo muito e o médico acha que é psoríase, ela tem muitas dores nas articulações, mas tem muitas feridas pelo rosto. O médico disse que no rosto não é psoríase. Ela já está tomando remédio biológico a 5meses e ainda não vimos melhora

  3. BRUNA/ Paraná atualmente em Portugal

    Responder

    Olá, tenho psoriase desde 17 anos mais ou menos que saiu na cabeça e cotovelo, foi horrível no início eu tinha passado por uma situação de stress e dolorida c separação de meus pais e tbem fui diagnosticado com TAG, usei loção que dermatologista passou por um bom tempo, era bem incomodo ardia, cheiro ruim do medicamento, mas logo melhorou. Daí então já tive várias crises e hj elas atacaram novamente nos cotovelos, pés, pernas, mas tbem por muito stress que passei.nunca usei medicamentos, só pomada e loções e shampo. Quem quiser saber nomes irei passar aqui, pode ajudar vc tbem!! Numa crise média e razoável.

  4. RENATO

    Responder

    Sou Renato, e comecei a notar psoríase a uns 3 anos. Tenho 58 anos e sofro preconceito em vários lugares. Inclusive sou dispensado em alguns hotéis quando observam as feridas. Também sou muito questionado a respeito da doença, e isso incomoda, que sempre estamos, tipo, dando entrevista. Interessante e positivo e como nos identificamos e somos solidários com os colegas que também sofrem com a psoríase, e incluem se os com vitiligo e lupos. O tratamento que recebo pelo SUS, ate aqui não presentou nada de bom. Creio que vou superar esse problema. Mantenho a esperança.

  5. RAYANA GUEDES

    Responder

    meu filho tem 9 anos e tem psoríase a uns 3 anos no couro cabeludo ,é horrível!

  6. SILVANA BASSO, LINS/SP

    Responder

    Olá, meu nome é Silvana tenho 53 anos e moro em Lins-SP, tenho psoríase à 8 anos e até hoje não fiquei um dia sem lesão, já usei todos tipo de hidrante, pomada e tomo metrotexato à 2 anos, no começo deu uma leve melhora, como eu mudei bastante nesses 2 anos estou sem médico, estou aguardando um médico pelo sus desde abril, no momento estou com lesão no corpo inteiro, está muito difícil usar roupa, muita dor ,nada melhora estou perdendo a fé sei que não tem cura, mas queria muito um tratamento que melhorasse as lesões.

  7. TRIELE, ITABUNA/MG

    Responder

    Meu filho tem psoríase nas mãos joelhos e pes. Ja difícil ate sem andar! Os medicos que ja fui nao são pessoas que aceitam a debater com a gente. Remedio é sempre o mesmo e sem muitas melhoraras pe dele ta quase tranparente de tanta pomada. Ja nao sei mais o que fazer. Itauna MG

  8. MARIA JOSE

    Responder

    Oi.
    Meu nome é Maria José. Tenho 52 anos. Fui diagnosticada com psoríase palmo-plantar faz 7 meses. Isso depois de passar por uma série de médicos, dermatologistas que divergiam quanto ao que eu tinha: Tínea, Desidrose, Dermatite de contato… demorei a saber o que era.
    Meus pés racham e sangram devido aos cortes. Uma dor… Minhas mãos coçam e ficam cheias de bolinhas que endurecem e depois quando descamam abrem feridas. Muita coceira.
    Usei vários cremes com corticoide, tomei acitretina e nada parece surtir efeito. Agora vou buscar outro médico e tentar tratar co PUVA. Torcendo para que dê certo.

  9. DAYANNA BARBARA, RIO DE JANEIRO/RJ

    Responder

    Oi meu nome é Dayanna hoje tenho 43 anos e fui diagnosticada com psoriase à 15 anos após uma separação pois tive uma crise muito forte.Atualmente uso um biológico devido a artrite psoriase casa a uns 8 anos muitas dores e leves lesões em todo o corpo uso vários hidratantes sem perfume pois meu corpo satura muito rápido. Mas a luta é diária.

  10. FABÍOLA BASÍLIO, BRASÍLIA/DF

    Responder

    Olá, meu nome é Fabiola e tenho psoríase desde os 11 anos. Hoje tenho 40 e estou bem resolvida com ela. Mas nem sempre foi assim. A começar do diagnóstico, que na época demorou, acho até que por se tratar de uma “ doença” pouco conhecida.
    Passei a adolescência me boicotando , num tremendo calor, usava roupas de inverno. E morava no Rio de Janeiro, era terrível. Até então, não tinha vergonha, mas uma vez fui retirada de uma piscina de um clube por uma banhista que achou que eu estava com perebas. Foi um dia inesquecível, até porque minha mãe não deixou barato. Fez um escarcéu e no fim a pessoa se desculpou, pois eu tinha atestado e andava com ele. Mas ali, naquele dia , despertou em mim a vergonha , a tristeza e elas me acompanharam por muitos anos. O tempo passou, houve a remissão , depois voltou novamente , mas as minhas lesões sempre foram brandas. Passei por muitos dermatologistas , bons, ruins, até que encontrei um anjo , Dra Helena Norma !!!! Até hoje somos amigas . Com a maturidade , fui aprendendo a conviver com a psoríase e a responder tb. Esse episódio da piscina não foi o único, mas acho que o mais marcante. Meu marido tb sempre foi um grande incentivador meu e nunca fez com que eu me sentisse feia por causa das manchas, muito pelo contrário, sempre me elogiou e me pôs pra cima. Está super acostumado, afinal são 24 anos juntos, ao todo.
    A medida que vc vai conhecendo mais a respeito, você lida melhor, encara melhor. Hoje, a medicina avançada, os médicos mais informados e comprometidos , ajuda bastante.
    A verdade tb é que poucos médicos cuidam da psoríase, a grande maioria prefere a Estetica, claro, deve dar mais grana … enfim… ainda bem que há exceções.
    A evolução dos cosméticos tb auxiliam muito no tratamento .
    E hoje, estou assim, super despreocupada e desinteressada na a opinião alheia. Vou onde quero, uso o que quero e não dou bola. Mas como eu sempre digo: a primeira pessoa que vc precisa vencer, é vc mesmo.
    E que as pessoas se informem mais e julguem menos.

  11. FELIPE, SÃO PAULO/SP

    Responder

    Psoriase e tatuagem, a mais de 15 anos tenho psoriase bem leve que aparece principalmente nos cotovelos e sempre controlada. Esse ano resolvi fazer uma tatuagem e logo na 1 semana minha perna ficou horrivel, somente depois de 8 meses e 4 dermatologistas foi diagnosticado o fenomeno de Koebner, o trauma gerado pela tatuagem foi o gatilho para eu desenvolver na regiao onde fiz a tatuagem uma psoriase mto forte e extensa como nunca tive. Atualmente trato somente com creme.hidratante Cerave e ja esta bem melhor apesar das machas vermelhas, para quem pretende fazer uma tattoo fica o alerta.

  12. FABIA, CURITIBA/PR

    Responder

    Desde que me entendo por gente a psoríase sempre fez parte da minha vida….ela fez de mim quem eu sou

  13. BEATRIS, SÃO PAULO/SP

    Responder

    Meu nome é Beatris, tenho 66 anos. Aos 60 anos fui diagnosticada com psoríase eritrodérmica após um longo período de muito stress, falta de sono e uma injeção de diprospan, por causa de um problema de ortopedia. Para quem não sabe é o tipo de psoríase que toma o corpo inteiro. No meu caso foi muito grave e agressiva. Depois de quase 2 anos de ciclosporina comecei a receber os primeiros imunobiológicos, o primeiro foi fazendo efeito até que tive 2 choques anafiláticos, o segundo não fez nada e o terceiro (Humira) é que faço uso até o momento. O mais importante para mim foi encontrar o médico certo e confiar. Hoje posso dizer que não tenho lesões importantes. Tenho o corpo limpo. Tenho tido algumas coceiras sempre no couro cabeludo, meu ponto frágil e por onde tudo começou.
    Durante a sequência da troca de medicamentos tive um surto de bipolaridade por conta de cruzamento de corticóide/anti-depressivo e genética, o que me fez também ser paciente de psiquiatria. Sigo fazendo terapia, que ajuda muito e tentado viver cada dia o melhor possível.
    Me tornei uma pessoa calma e sempre tentando não me estressar.
    Posso ainda dizer que ter uma doença assim nos ensina muito a aceitar o que não podemos mudar e a encarar a vida de uma forma mais leve.

    .

  14. GIOVANNA, SÃO PAULO/SP

    Responder

    Olá meu nome é Giovanna e eu tive meu primeiro caso com psoríase com 13 anos, hoje tenho 16 e faz 3 anos com isso, por 1 ano ela ficou silenciada, mas agora com 16 ela voltou com tudo. Sempre confundiram s minha psoríase com pitiríase rósea e nunca achei tratamento pra amenizar a doença, além da coceira o que mais me incomoda é a aparência, pelos comentários das pessoas achando que é contagiada, a pergunta delas como se fosse um absurdo ter como “ CREDO O QUE É ISSO NO SEU CORPO?”, e o fato delas acharem que é contagioso e ficarem distantes, mas graça essa página eu aprendi a aprender a aceitar essa doença e com ajuda de terapias e pomadas está ficando melhor.

  15. ANA CAROLINA, SÃO PAULO/SP

    Responder

    Tenho 20 anos e fui diagnosticada com psoríase gutata aos meus 16 anos. No inicio eu não ficava incomodada porque apareciam em poucas regiões e escondida, então eu passava pomada e melhorava. Depois que entrei na faculdade começou o stress, correria, mudança de rotina e minha psoríase aumentou descontroladamente, tiveram dias em que eu não ia para a faculdade por vergonha além de não conseguir ter uma relação mais profunda com vergonha de expor as “gotinhas” do meu corpo. Infelizmente a fototerapia é contraindicada para mim, pois minha família tem um histórico bem próximo à mim de melanoma. Mudei alimentação, tirei 100% do glúten (uns dizem que não muda nada, mas o glúten acaba sendo inflamatório, e no desespero fazemos tudo), achei um médico homeopata que me receitou alguns remédios de um protocolo portugues a base de Pulsatilla e Arsenicum Album que me ajudaram muito, além do shampoo clob-x. Recentemente fui em uma médica que me indicou os novos cremes BLUE CAP, que foi dito pelos pacientes dela que ajudaram extremamente. A psoríase é algo que quem tem, sabe o quanto é algo que batalhamos para não nos prejudicar principalmente, emocionalmente. Afeta demais a alto estima e acaba por gerar uma bola de neve viciosa. Passar por isso nessa idade é muito difícil, confesso. As pessoas olham com cara de julgamento, medo de pegar e acabam evitando mesmo não tendo ideia do que é aquilo, mas infelizmente não podemos julgar tais pessoas, porque nem todo mundo sabe o que é a tal psoríase.

    • APARECIDA, GOIOERÊ/PR

      Responder

      Olá Caroline meu nome é Aparecida tenho um filho de 18 anos ,foi diagnosticado com psoríase gutsta a 1ano ,desde então vem fazendo tratamento .Os 5 6primeiros meses fez tratamento tópico si com pomadas mas a psoríase ia e voltava .Agora ele faz tratamento com injeções de metrotexato toda sexta feira toma uma injeção. Sumiu quase tudo a psoríase dele. Gostaria de saber se vc chegou a fazer tratamento s base desse remedio .? E se voltou ou não?

  16. LUIZ CARLOS

    Responder

    meu nome é luizestou me tratando com super dosagem da vitamina D é muito bom,só tem um detalhe que for estressado nem esse tratamento resolve .o médico especialista em vitamina D foi bem claro que 15% seria o tratamento e 85% é evitar o stress já melhorei bastante mas quando me estresso volta a piorar

  17. SELMA, SÃO PAULO/SP

    Responder

    Olá! Me chamo Selma, tenho 56 anos e desde os 9 anos de idade convivo com psoríase. Já são 47 anos tentando entender como funciona e o que funciona para ela. Em 2015 fui diagnosticada com artrite psoriásica, que eu nem imaginava que existia, mas comecei a tratar com imunobiológico em 2019. Levo vida normal, um dia bem no outro nem tanto. Difícil explicar o que acontece com a gente, tanto com a psoríase quanto a artrite, que é invisível aos olhos dos outros. Conhecermos a nós mesmos é o caminho!

  18. SHEILA ROCHA, PETRÓPOLIS/RJ

    Responder

    Oi, amigos! Meu nome é Sheila, tenho 61 anos aos oito já apresentava psoríase gutata nos pés e mãos. Na faculdade piorou muitíssimo, mas com os tratamentos acabou em remissão por varios anos. Aos 40 começou no couro cabeludo. Nunca mais tive um dia de remissão, só piorou. Acho que não encontrei ainda um dermatologista que me dissesse tudo ou não sei. O mais importante: aprendi que só posso tomar banhos frios, não ingiro alimentos inflamatórios ( carne vermelha, produtos industrializados, bebida alcoólica) quase nunca. Não posso arrancar as cascas, todas as noites passo óleo Dersani misturado com 5ml de óleo essencial de bergamota e lavo pela manhã com um dos shampoos especificos; na verdade borrifo o couro cabeludo com água e massageio com o shampoo e deixo por 15 minutos e depois enxáguo no tanque mesmo e passo alguma coisa para hidratar se der tempo. Sempre amei meus cabelos compridos, mesmo com a idade eu me achava bonita… mas não deu… cai muito.. no trabalho ainda é bem desagradável .. eu cortei meu cabelo. Agora , quando percebo que tem um colega me olhando coçar a cabeça ou a quantidade de cabelo e casca que cai , eu falo : gente, isso que eu tenho é psoríase! Não pega! É uma doença auto imune! Quem tiver receio pode ler sobre o assunto, é bom o conhecimento!Cada um tem sua cruz aqui, só que a minha dá pra ver. As pessoas, normalmente, após este pequeno discurso tentam ao menos disfarçar e a mais amiga até tenta tirar as casquinhas da minha roupa quando eu não as vejo..
    Amigos, uma doença crônica tem que ter um motivo útil! Deus é Amor puro! Talvez tenhamos algo em comum, em nós mesmos, e nós mesmos não somos o corpo físico! Talvez passar por estes dramas nos ensine algo muito mais importante do que a dor das humilhações e as chicotadas na nossa vaidade e conforto. Devemos , obviamente, buscar a informação, lutar por melhora física, é claro, não desanimar nuuunca, mas vamos tentar aproveitar o benefício que a dor bem pensada pode nos trazer.Um abraço fraterno para nós todos. Não deixem ninguém desanimar!

    • MARTHA, RIO DE JANEIRO/RJ

      Responder

      Chorei com o seu depoimento, Sheila. Pois, sinto muito bem tudo isso o que vc passa. Tenho psoríase há muitos anos e sempre sofri muito com isso e naquela época, eu não sabia o que era, eu fazia faculdade, tinha muito estresse e ficava ainda pior. Precisava ir com roupa que cobrisse as manchas para que os colegas não perguntassem o que era aquilo e até se afastassem de mim. Sofri muito. Mas com a chegada da internet eu fui me atualizando e vendo q poderia conviver com esse problema. Tive todos os tipos de psoríase, a cutânea, a butata e a genital. Sei que Deus, e só Ele, pode nos dar forças para superar esse nosso sofrimento, mas somos fortes e isso não irá no abater e nem deixar de lutar por dias melhores. Desculpe, foi só um desabafo pra te dizer que vc não está só. Deus está ao nosso lado em todas as circunstâncias. Um grande abraço.

      • SHEILA ROCHA, PETRÓPOLIS/RJ

        Responder

        Marta, Obrigada. Há um mês e meio estou com uma dermatologista que passou matotrexato e daivobet.Nao tenho nada de psoríase no momento! Porém o metotrexato é uma droga altamente tóxica e não é possível seu uso sem acompanhamento médico Constante.
        Não perca a esperança!! Descobri que se não está dando certo, procure outro médico. Eu sei que mesmo através do SUS você pode ter acesso ao daivobet (é caro) e até mesmo aos bioremedios que ,quando indicados, melhora muito mesmo. Estes são caríssimos, mas você entra na justiça, pode ser pela defensoria pública, e consegue os bioremedios pelo sus.
        Fica com Deus!! Não desanima! É a nossa luta! Mas lembra de que o que não mata, engorda! A gente ficará gorda de força…espero!!

  19. ADRIANO REZENDE, UBERLÂNDIA/MG

    Responder

    Boa tarde, alguém pode me dizer se fez uso do cosentyx e qual foi o resultado?

  20. JÉSSICA RIBEIRO, RIO DE JANEIRO/RJ

    Responder

    Me chamo Jessica e tenho psoríase desde os 7/8 anos de idade. Meus sintomas vão e voltam diante do momento que eu esteja vivendo. Faço meus tratamentos, hidrato bem a pele, tomo sol, água do mar, etc para ter uma boa vida. Hoje com 26 anos, eu não me questiono mais ou brigo por ter psoríase, eu aprendi a conviver e a me adaptar para que esteja sempre controlada. Confesso que preciso trabalhar mais a minha mente, estar tranquila com os nossos pensamentos e emoções é uma das principais chaves para a melhora da psoríase.

  21. ALINE, DUQUE DE CAXIAS/RJ

    Responder

    Meu nome é Aline tenho 28 anos sou do Rio de janeiro, a 7 anos descobri a psoríase, no inicio eram poucas lesões, hoje chega a atingir 90% do meu corpo , eu faço tratamento com a pulva e uso continuo de hidratante, e mesmo com isso ela ainda ataca bem forte, e me sinto muito mal, as vezes olho para o espelho e sinto que estou vendo um monstro, teve vezes de eu pedir pra Deus
    me levar, e os olhares das pessoas na Rua e no meu trabalho não me ajudam nem um pouco, mais Deus tem me dado forças e creio que ele me dará, ainda não consigo aceitar é difícil, mais vou lutar

  22. JULIANE, SÃO PAULO/SP

    Responder

    Ola meu nome é Juliane, tenho 42 anos e convivo com a psoríase desde 2002 quando tive uma depressão muito grave me levando a uma tentativa de suicídio. Ainda coisa que sarou de vez foi o tratamento com a fototerapia pois tenho alergia ao corticoide e me dava rebote. Hoje parei as aplicações de raios UV e pareço um dálmata, toda cheia de manchinhas brancas. Isso me desanima e acaba com minha autoestima pois as pessoas olham como cara de nojo e perguntam se é contagioso.
    MUITO difícil viver com isso genteee 🙁
    Sinto tanta tristeza e VERGONHA

  23. SÉRGIO AUGUSTO, BELFORD ROXO/RJ

    Responder

    Olá meu nome é Sérgio Augusto, sou morador do Rio de janeiro, não tenho idéia quando a psoríase se apossou de mim, sei que devido ao meu estresse emocional natural de emocionar-se facilmente e dos meus esforços físicos sem uma vida de exercícios e também hérnia de disco na coluna, me deixa fragilizado. Devido gostar de ler e procurar informações, descobri que deveria procurar um reumatologista, depois de alguns anos fazendo RPG e Acupuntura e injeções de corticoide e antiinflamatório com várias consultas médicas com ortopedista, me vi na primeira consulta com reumatologista, mas a uma semana de tratamento com prednisolona 5mg, já estou detestando os efeitos colaterais, mas como estou aguardando os resultados de exames de sangue, urina e imagens RM, usarei a contra gosto a caixa que cobrei, mas vendo essa reportagem gostaria de um contato se possível pelo e-mail, se existe tratamento sem corticosteróides, que funcionem bem. A propaganda é boa, anima, mas os valores nem sempre são possíveis de serem pagos por muito tempo. Na esperança de dias melhores em plena pandemia, fico no aguardo de uma resposta. Abraços e saúde a todos.

  24. STHÉFANY, RIO DE JANEIRO/RJ

    Responder

    Olá meu nome é Sthéfany, sou do estado do Tocantins e tenho psoríase desde os meus 08 meses de vida.
    Vou contar um pouco da minha história com a psoríase. Minha psoríase apareceu quando eu tinha apenas 8 meses de vida, naquele tempo ninguém e nenhum médico que eu era levada sabiam do que se tratava aquelas minhas feridas, mesmo eu ainda sendo bebê com os pés feridos minha tia passava lapecidi neles porque achava que era alguma doença de animal e eu chorava MUITO(diz minha avó), já fui levada pra benzedeiros, já tive aguardente nos meus pés(me lembro até hoje da dor que era passar aquilo nos meus pés), já usei permanganato em pó, remédios manipulados, sucos Detox, já tive uma lista imensa cortada do meu cardápio, já usei apenas sandálias de couro com meias, tudo que puder imaginar entre outros.
    Tinha épocas na adolescência que eu não sabia nem o que era andar, ficava sempre deitada e quando precisava era carregada no colo o tempo todo ou tinha que ficar engatinhando, meus professores precisavam levar minhas provas em casa para que eu pudesse fazer e não reprovar de ano. Já fui levada pra BH e lá o médico não soube dizer o que era, perdi um ano escolar atrás de respostas e nada.
    Entre 8 meses de vida e a idade da primeira comunhão eu tinha rachaduras, feridas nos pés todo, bolhas de pus, de sangue e carne viva, uma vez a meia grudou e foi uma dor imensa, meu avô precisou descolar a meia da ferida jogando água até soltar. Já sofri bullying por causa da psoríase, já fui chamada de pé podre e algumas pessoas olhavam feio achabdo que era contagioso(até hoje alguns fazem isso), descobrimos que era psoríase com uma médica de Palmas-TO depois da biópsia feita. Teve uma época que a psoríase agressiva deixou de aparecer, mas sempre ficavam ressecados, escamosos e com leves rachaduras, hoje meus pés estão voltando ao que eu sempre temi.
    Tenho psoríase nos pés, mãos e dedos das mãos, embaixo das unhas, couro cabeludo, rosto e canelas, só que os lugares que mais ficam agressivos são pés, dedos das mãos e embaixo das unhas.
    É desconfortante, vergonhoso quando atacado, é muito ruim. Não consigo nem dormir com os pés cobertos mais quando estão sem meias ou sem a loção adequada.

  25. MARIA PAULA, CRICIÚMA/SC

    Responder

    Meu Nome é Maria Paula, tenho 25 anos e psoríase desde os 17 anos. Venho compartilhar com vocês um pouco de esperança. Depois de tentar tratamentos tradicionais, como pomadas com corticoides, também encontrei um médico que possuía aquelas camas que disparam UVA e UVB, mas nada dava muito resultado. Quando eu fiz acupuntura e acompanhamento psicológico foi o momento em que as psoríases diminuíram drasticamente, a maioria sumiu mesmo. Eu tinha no corpo inteiro, e hoje tenho apenas no couro cabeludo e umas bem pequenas espalhadas pelo corpo, mas são poucas. Fiz mais de 2 anos de tratamento com acupuntura e psicológico (Esse é muito importante também). Hoje estou procurando reduzir as do meu couro cabeludo, porque coçam muito, e enchem de casquinha meus cabelos. Me sinto mal, insegura, baixa auto-estima e estou buscando tratar com óleos essenciais. Procure um aromaterapeuta para você entender o que são óleos essenciais (dica: não use óleo essencial da DoTerra) os óleos essenciais para psoríase são: óleo vegetal de goiaba, óleo essencial de gerânio, óleo essencial de cedro. Há outros também, mas procure usar com a indicação de um aromaterapeuta.

  26. EDIVAN PONTES, Piauí

    Responder

    Boa tarde meu nome é Edivan Pontes.

    Recentemente eu descobrir que tenho psoríase.

    Gostaria de conversa via whatssap com alguém sobre essa doença.

    Se alguém tiver um grupo de whatssap ou link do grupo. Me envia ou me add.

  27. EDIVAN PONTES, PIAUÍ

    Responder

    Boa tarde meu nome é Edivan Pontes.

    Recentemente eu descobrir que tenho psoríase.

    Gostaria de conversa via whatssap com alguém sobre essa doença. (86) 99907 9027

    Se alguém tiver um grupo de whatssap ou link do grupo. Me envia ou me add.

  28. LUCIANA, RIO DE JANEIRO/RJ

    Responder

    Tenho artrite psoriática com 36 anos, ela começou há aproximadamente 1 ano e meio em um único joelho, entretanto ha uns 8 meses comecei a sentir dores nas costas na altura do pulmão esquerdo e no meio desta pandemia comecei a sentir o início da artrite no outro joelho. Ha mais de 10 anos atrás tive psoríase nos joelhos, couro cabeludo, mãos e tornozelos, durante um período de muito stress por conta de trabalho.
    Na época controlei bem com a pomada psorex.
    Há 1 ano e meio iniciei tratamentos com anti-inflamatórios pois não sabia que estava com a artrite psoriática até ir a um reumatologista. Fui diagnosticada com a doença e o tratamento por 7 meses foi com metotrexato e 5mg de prednisona por dia. Sendo que sempre que eu ficava 1 dia sem o corticoide o inchaço, a dor e incapacidade de dobrar a perna retornava muito rápido. O tratamento com metrotexato me causou muitas náuseas e dores de cabeça sem solução para doença. As consultas com o reumato sempre muito difícil de agendar, muitas vezes chegava jo medico e ele ja tinha esquecido meu tratamento e nada mudava. Fazia exames de sangue com frequência… e nada. Na minha ultima consulta com ele resolvi pausar o tratamento com metrotexato para engravidar. Hoje só tomo as 5mg de prednisona diárias, mas ao ver a doença avançar para o segundo joelho estou muito triste. A procura de um novo reumatologista.

    • SHEILA ROCHA Petrópolis/ RJ

      Responder

      Procura um dermatologista, pode ser do SUS.. Hoje existem remédios, que é o mesmo que sarar…se o médico passar para você um desses remédios, Você pode procurar o fórum é pela defensoria pública você consegue o remédio ( são caríssimos) Mas consegue… e tem outros remédios mais baratos, enfim, Se não está dando certo procura outro dermatologista! Foi o que eu fiz e estou melhor…no Momento não tenho nada…mas sei que não CURA e que vou estar sempre tratando…É a nossa Cruz que nos faz mais fortes…. Fica com Deus!

  29. ELIANE, SÃO PEDRO DA ALDEIA/RJ

    Responder

    Meu nome é Eliane, tenho 58 anos e sou portadora de psoríase a 3 anos, se encontram no joelho, tornozelo e parte de trás da perna. Já usei todo tipo de pomada e tratamentos diversos. Atualmente procuro me cuidar hidratando minha pele, tomo banho gelado e optei por uma alimentação saudável. Ainda tenho vergonha de usar shorts e saias… me tornei uma pessoa introvertida e deixei de fazer muitas atividades.
    Hoje tenho a esperança de que um dia a ciência possa descobrir uma cura.

    • SHEILA ROCHA Petrópolis/ RJ

      Responder

      Oi, Eliane!!
      Por experiência própria, digo que você pode melhorar muito!! É muito necessário que você procure um dermatologista…no SUS tem também…inclusive , Se for o caso de remédios caros, você pode conseguir pelo SUS mesmo ou entrando aí no Fórum, pode ser pela defensoria pública…e você consegue os remédios caros se o médico os receitar…e você vai ficar bem!! Não desanima!!! Ma tem que procurar o dermatologista…pomadas que nos indicam não melhora.. realmente não tem CURA, mas você pode ficar muito bem. Fica com Deus!

  30. MARCOS, DUQUE DE CAXIAS/RJ

    Responder

    boa tarde,me chamo marcos sou do rio de janeiro,gostaria de saber se tem alguém que já ou faz uso dos produtos da blue cap e se realmente são eficientes, e indico para pesquisarem na internet sobre este produto

Deixe o seu Comentário