SAIBA TUDO SOBRE A PSORÍASE PUSTULOSA GENERALIZADA (PPG)

O que é Psoríase Pustulosa Generalizada (PPG)?

Psoríase pustulosa generalizada (PPG) é tipo raro de psoríase descrita pela primeira vez, em 1910, por Von Zumbusch, e é considerada o tipo mais grave da psoríase. Importante destacar que é uma doença crônica e não contagiosa.

A psoríase “vulgar” é o tipo mais comum, com presença de lesões avermelhadas na pele, em formato de placas, que descamam. Também causa, rachaduras, coceira, queimação e dor. Na PPG, as lesões da psoríase vulgar são acompanhadas de pústulas (bolhas com pus) e quando as bolhas rompem, surgem feridas.

 PPG é Rara e é Grave

A Psoríase Pustulosa Generalizada (PPG) atinge 9 em cada 1 milhão de brasileiros, isso daria quase 2 mil pessoas com a doença no nosso país. Nos Estados Unidos são mais de 3,5 mil pessoas e na Europa são 2 pessoas por milhão pacientes com a PPG, segundo o site Muitos Somos Raros e o Medilineplus, um dos maiores sites informativos médicos dos Estados Unidos.

Um dos maiores especialistas em psoríase do Brasil, Dr. Ricardo Romiti, dermatologista e responsável pelo Ambulatório de Psoríase do Departamento de Dermatologia do Hospital das Clínicas da USP, diz que “em 7% dos casos, os pacientes com a forma generalizada podem vir a óbito.”

 Sintomas

Os mais comuns na PPG são: vermelhidão na pele, ardor e erupção generalizada de pequenas bolhas de pus (chamadas de pústulas), pode ser acompanhadas de febre, náusea, fadiga e dor.

Gatilhos

De modo geral, os casos de psoríase são provocados por predisposição genética, fatores ambientais ou de comportamento. Alguns gatilhos desencadeiam ou agravam crises: interrupção do uso de medicamentos, queimadura solar, presença de infecções virais (incluindo rinovírus e coronavírus), estresse e gestação.

 

As mulheres são a maioria na PPG com 53% dos casos e ocorre de modo mais frequente após os 30 anos de idade.

Crise imprevisível

Segundo o médico Wagner Galvão, dermatologista do Hospital Sírio-Libanês, professor da Faculdade de Medicina do ABC e um dos responsáveis pela elaboração do Consenso Brasileiro de Psoríase, essas pequenas bolhas de pus geralmente se manifestam repentinamente. É comum que além das pústulas, o paciente tenha febre alta. O tempo de duração das crises varia. Em sua forma mais grave gera internações e pode levar à morte.

“As lesões da PPG aumentam a chance de infecção e causam o comprometimento sistêmico. O corpo começa a responder com uma inflamação, que gera complicações pulmonares, cardiológica, hepática e renal”, explica Galvão.

Impacto social e emocional também!

Como as pequenas bolhas de pus espalhadas na pele podem durar meses se não receberem tratamento adequado, a Psoríase Pustulosa Generalizada leva ao isolamento social, impactando o convívio com família e amigos.

“Uma pessoa não se define pela doença. Temos que olhar para esses pacientes. São pessoas normais, que podem trabalhar, ter convívio social. Ou seja, uma vida produtiva, normal.  Precisamos dar oportunidade e ajudar a combater esse isolamento”, alerta Antoine Daher, fundador e presidente da Federação Brasileira das Associações de Doenças Raras (Febrararas).

Com tratamento e suporte adequados, a PPG pode ser controlada. Otimista, Wagner Galvão vislumbra um horizonte com tratamentos mais eficazes num futuro próximo.

Tratamento

Dr. Ricardo Romiti também da coordenação da SBD, explicou que da mesma forma que há os tratamentos imunobiológicos para o controle da psoríase em placas, estão em desenvolvimento novos imunobiológicos para o controle da psoríase pustulosa generalizada. “Essas drogas ainda não estão disponíveis no mercado, mas estão em fase avançada de estudo e parecem ter um perfil de eficácia e segurança muito satisfatórios.

Considerando esses sintomas a PPG afeta a saúde e qualidade de vida dos seus pacientes, podendo até levar à morte em casos extremos.

Procure um médico!

Considerando sua gravidade, se você apresentar qualquer sintoma da PPG, procure imediatamente um dermatologista.

Para saber mais, a clique aqui:

Apoio: Boehringer Ingelheim

#boehringeringelheim #ppgerara #ppgeunica #psoríase #doencasrara #amigoscompsoriase

Fontes: Estadão, MuitosSomosRaros, NPF, Medilineplus, Boehringer Ingelheim, SBD, NCBI, Tandfonline

2022-03-06T12:30:06+00:00

Deixe o seu Comentário