PSORÍASE EM CRIANÇAS

Seu filho recebeu o diagnóstico ou você suspeita da psoríase? Nesse post aqui vamos te ajudar a entender o que é a psoríase pediátrica e porque as crianças também podem ser afetadas pela doença. O mais importante: a psoríase nos pequenos também já tem tratamento!

Diagnóstico com especialista e acompanhamento médico são fundamentais para que as crianças possam viver bem com psoríase!

Clique aqui para encontrar um(a) dermatologista especialista em psoríase, e saiba como se preparar para a consulta!

O que é a psoríase?
A psoríase é uma doença crônica em que a pele e articulações podem ficar inflamadas. É uma doença comum, não contagiosa e cíclica, ou seja, os sintomas aparecem e desaparecem de tempos em tempos.

Embora seja mais comum em adultos, crianças, adolescentes e até bebês podem ser afetados:

  • cerca de 25 a 45% dos casos começam antes dos 16 anos de idade
  • 2% dos pacientes chegam a manifestar a doença antes mesmos dos 2 anos de idade

A doença pode afetar ambos os sexos, e as consequências vão muito além dos sintomas visuais na pele, podendo afetar profundamente a qualidade de vida dos pacientes, em todas as idades.

Causas e fatores de risco da psoríase em crianças
Ainda não se sabe exatamente o que causa a psoríase. A doença envolve história familiar, hábitos de vida, estado emocional e alterações no sistema imune. Já sabemos, porém, que alguns fatores estão associados ao desenvolvimento da doença, entre eles:

Genética: ter pais, avós, ou irmãos com psoríase aumenta as chances de ter a doença. Quase metade dos casos de psoríase pediátrica estão relacionados à herança familiar. Pesquisas mostram que certos genes ou combinações de genes podem ter um papel no desenvolvimento da doença.

Sistema Imune: as células brancas do sangue (células T), são células do sistema imune que ajudam a combater infecções. Na psoríase, essas células “por engano” atacam células saudáveis da pele, levando o corpo a produzir novas células da pele com uma frequência muito maior do que adequado. Essas células “imaturas” e células mortas se acumulam na superfície da pele, formando as típicas placas da psoríase.

Além disso, alguns fatores podem facilitar, desencadear ou agravar os sintomas da psoríase em crianças e adultos, como:

  • Estresse
  • Machucados na pele, como cortes ou arranhões
  • Infecções
  • Alguns medicamentos
  • Tempo muito quente ou muito frio
  • Sinais e sintomas da psoríase pediátrica
  • Em crianças, a psoríase em placas é a mais comum

Os principais sinais são:

  • Placas avermelhadas na pele, bem delimitadas e de diferentes tamanhos
  • Descamação da pele
  • Algumas crianças podem ter placas únicas, ou poucas placas com descamação leve, o que pode dificultar o diagnóstico.

Essas lesões podem aparecer em locais como:

  • Couro cabeludo
  • Braços e pernas
  • Mãos e pés
  • Genitais
  • Dobras do corpo
  • Umbigo
  • Ao redor dos olhos, nariz e boca
  • Área das fraldas

Outros tipos menos comuns de psoríase em criançassão:

  • Psoríase gutata: a inflamação da pele acontece de repente e pode estar acompanhada de infecção bacteriana. As lesões na pele são mais elevadas e geralmente somem em 3 a 4 meses.
  • Psoríase linear: lesões escamosas que seguem um padrão específico
  • Psoríase pustulosa: lesões elevadas, amareladas e com pus. Algumas crianças podem ter febre e aumento do número de leucócitos (células de defesa) no sangue
  • Psoríase eritrodérmica: se manifesta com coceira intensa, vermelhidão e descamação da pele
  • Artrite psoriásica: afeta as articulações, principalmente das mãos e pés

Diagnóstico da psoríase em crianças: O diagnóstico da psoríase pediátrica é feito geralmente pelo dermatologista ou dermatologista pediátrico. O especialista irá observar o tamanho, forma e localização das lesões na pele da criança. Às vezes pode ser necessário tirar um pedaço de tecido para uma avaliação mais completa no microscópio.

Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maiores as chances de sucesso do tratamento.

Tratamento da psoríase pediátrica
Apesar da psoríase não ter cura, hoje em dia existem diversas opções de tratamentos capazes de oferecer uma pele sem lesão ou quase sem lesão, e melhorar as demais consequências sistêmicas da doença, o que é fundamental para devolver a qualidade de vida aos pacientes.

O tratamento adequado depende do tipo de psoríase e da gravidade dos sintomas.

Geralmente envolve:

  • Tratamento tópico: cremes ou pomadas para aplicar diretamente na pele
  • Hidratantes e emolientes – ajudam a deixar a pele mais macia e hidratada
  • Anti-inflamatórios – ajudam a diminuir a inflamação da pele
  • Tratamento sistêmico: geralmente são prescritos para psoríase moderada a grave
  • Medicamentos na forma de injeções ou comprimidos – de maneira geral, atuam reduzindo os processos inflamatórios no organismo
  • Medicamentos biológicos – são capazes de reconhecer e se ligar a proteínas específicas no corpo, inibindo as substâncias que causam inflamação
  • Fototerapia – é um tratamento que envolve exposição à luz UV (UVA ou UVB) e deve ser feito com acompanhamento médico
  • Em alguns casos, pode ser necessário combinar tratamentos tópicos e sistêmicos.

O acompanhamento psicológico pode ser benéfico para alguns pacientes, especialmente devido ao estresse e ansiedade que podem estar relacionados às lesões na pele.

Para mais informações sobre Psoríase pediátrica, procure um(a) dermatologista.

Fonte: Novartis – Psoríase em crianças: ela existe e tem tratamento. Saúde Novartis, 22/07/2021

Clique para ver o artigo na íntegra.

 

2021-10-11T12:24:49+00:00

Deixe o seu Comentário