Tratamentos 2018-02-03T19:28:28+00:00

Causas e Tratamentos

O que causa a Psoríase?

Não se sabe a causa exata da psoríase. O que se acredita até agora é que em nosso sistema imunológico existe uma célula conhecida como célula T, que percorre todo o corpo humano em busca de elementos estranhos, como vírus e bactérias, com o intuito de combatê-los. Se a pessoa tem psoríase, as células T acabam atacando células saudáveis da pele, como se fosse para cicatrizar uma ferida ou tratar uma infecção. Isso costuma trazer várias consequências, como a dilatação de vasos sanguíneos e o aumento no número de glóbulos brancos, que avançam para camadas mais externas da pele de forma muito rápida, provocando lesões avermelhadas.

Trata-se de um ciclo ininterrupto, que só tem fim com o tratamento adequado.

Tratamentos para Psoríase

Existem diversos tipos de tratamento para psoríase, mas todos têm pelo menos um dos seguintes objetivos:

  • Reduzir a inflamação e formação das placas, fazendo com que as células da pele parem de crescer tão rapidamente;
  • Regular e normalizar a aparência da pele.

Para isso, existem três opções gerais de tratamento: tópico (cremes e pomadas), sistêmico e por fototerapia. A escolha dependerá do tipo de psoríase e do histórico do paciente.

Lembrando que apenas o médico poderá indicar qual o melhor tratamento. Não se auto medique.

Normalmente é possível tratar pacientes que apresentam uma forma leve de psoríase, com pequenas e poucas lesões cutâneas, sem comprometimento das articulações, com medicações tópicas (pomadas), além do uso intenso dos hidratantes e da exposição solar (leve e protegida) na psoríase. Dentre os medicamentos tópicos que podem ser receitados estão as pomadas com corticóides e outras substâncias que sejam mais adequadas, caso a caso, para aliviar os sintomas.

Já os pacientes que apresentam formas de psoríase mais graves frequentemente necessitam de medicamentos sistêmicos, que são os de uso via oral, subcutâneo, intramuscular, ou intravenoso, para o controle da doença. Eles também são indicados nos casos em que apenas com o tratamento tópico não se obteve o resultado esperado.

Dentre as classes de medicamentos sistêmicos para o tratamento da psoríase podem ser citados:

  • Imunossupressores: esse tipo de medicamento atua no sistema imunológico diminuindo a capacidade do organismo atacar ele mesmo
  • Medicamentos biológicos: são moléculas produzidas com o auxílio da engenharia genética, usadas para  tratar doenças autoimunes. Eles são indicados, especialmente, nos casos de psoríase e artrite da psoríase resistentes aos tratamentos convencionais ou que já apresentem restrição a eles pelo desenvolvimento de  efeitos colaterais.

Também pode ser usada a fototerapia, que é um procedimento no qual a pele é cuidadosamente exposta à luz ultravioleta, ou a PUVA, terapia, que é a utilização de psoralênicos mais fototerapia com ultravioleta A.

A fototerapia para psoríase pode ser aplicada com luz ultravioleta A (UVA) ou ultravioleta B (UVB).

Pomadas e cremes

Os tratamentos tópicos ( medicamento deve ser aplicado sobre a pele, como as pomadas) são os mais comuns e mais recomendados pelos dermatologistas. Normalmente são prescritos para psoríase leve a moderada, ou seja, quando a psoríase afeta 30% ou menos do corpo. Os medicamentos mais comuns são: o coaltar (alcatrão), derivados da vitamina D (calcipotriol) e corticóides (ex. Psorex, Clob x – clobetasol).

Infelizmente muitos dermatologistas prescrevem o corticoide sem alertar para os perigosos efeitos colaterais causados pelo uso a longo prazo desse medicamento. O corticoide se usado por mais do que algumas semanas pode causar uma piora na inflamação e intensa vermelhidão das lesões, além de poder se espalhar para todo o corpo. A isso chamamos de efeito rebote.

Fototerapia com luzes

A Fototerapia é um tratamento que consiste na exposição das lesões à luzes artificiais de radiação ultravioleta (UVA e UVB), o mesmo tipo de raios presentes na luz solar. Quando associada com medicamentos, os psoralenos, que são substâncias foto ativas, recebe o nome de PUVA.
As sessões geralmente são semanais e o tempo de tratamento vai depender do grau da psoríase.

A grande vantagem da Fototerapia é que você não depende apenas do sol para melhorar, podendo seguir o tratamento em qualquer dia e horário. Além disso há maior segurança na dosagem de radiação ultravioleta, pois tudo é controlado com muito cuidado pelo terapeuta.
Os efeitos colaterais mais comuns da fototerapia são o envelhecimento da pele e o risco aumentado de câncer de pele.

Fototerapia com laser

Apesar da sua eficácia, a fototerapia é uma técnica que remonta dos anos 40 e atualmente os pacientes com psoríase com o laser pulsado de contraste (PDL – Pulsed Dye Laser) e o laser de excímeros. O mais recente dos dois é o laser de excímeros, e por isso existem poucos estudos a dar conta da sua eficácia, que parece ser elevada, com efeitos que se prolongam no tempo por vários meses.

A finalidade do tratamento é a destruição de pequenos vasos sanguíneos que se encontram dilatados e proliferados na pele afetada pela doença, resultando no clareamento das placas de psoríase. A pele normal não é lesada e não ocorrem efeitos colaterais no organismo. O importante saber que a psoríase não é um inimigo invencível: as alternativas de tratamento existem!

Sol

O sol é um grande aliado no tratamento para muitas doenças de pele, além de ser muito bom para os ossos devido à vitamina D que ajuda o esqueleto a absorver cálcio. Na psoríase, os raios ultravioletas (UV) e, em particular, os raios UVB ajudam a pele a cicatrizar e a reduzir a inflamação. Eles também desaceleram a super-produção de células que causam a descamação. Uma curta exposição diária ao sol (10-15 minutos/dia), usando protetor solar e evitando as queimaduras , é suficiente ajudar na melhora das lesões.

O ideal é tomar sol diariamente, por pouco tempo e evitar os horários depois das 10h da manhã até 15h da tarde.

Acitretina  (Neotigason)

A acitretina (nome comercial Neotigason) é bastante usada na dermatologia, principalmente para o tratamento de psoríase. Isso porque a acitretina controla o crescimento desordendo das células. Na psoríase a melhor indicação é na no tipo palmo-plantar e psoríase das unhas. No tipo, psoríase em placas a resposta terapêutica não é tão boa.

E porque a Acitretina é recomendada para Psoríase?

A psoríase é um doença auto imune. Chamamos de auto imune quando o nosso organismo ataca ele mesmo devido a um “defeito” do sistema imunológico. Nesse caso o nosso sistema imunológico funciona como se houvesse um ferimento na pele e ele manda produzir mais e mais células para curar e regenerar a pele ferida, isso gera uma inflamação no local (vermelhidão) e o excesso de células da pele provocam a escamação típicas nas lesões de psoríase.

Efeitos colateriais
A acitretina tem vários efeitos colaterais graves, por isso o tratamento deve ser acompanhado bem de perto pelo médico. Esse medicamento pode diminuir o número de glóbulos brancos ou vermelhos o que pode ser perigoso. Pode também aumentar o colesterol e ser prejudicial ao fígado. Além disso, as mulheres não podem engravidar enquanto tomam a acitretina, pois ela pode provocar mal formação do feto.

Metotrexato e Ciclosporina (Imunossupressores)

O Metotrexato (MTX) e a Ciclosporina pertencem a uma classe de medicamentos chamados imunossupressores. Como o próprio nome disse, esses medicamentos suprimem o funcionamento do nosso sistema imunológico, justamente para tratar doenças auto imunes como a psoríase.

Imunossupressão é o ato de reduzir a atividade ou eficiência do sistema imunológico. Quando falamos em medicamentos imunossupressores estamos nos referindo a medicamentos que atuam no sistema imunológico baixando a imunidade, ou seja, são medicamentos utilizados para inibir os sintomas de uma doença, ou o seu surgimento. Fazendo isso, no caso da psoríase por exemplo, o nosso organismo acaba controlando a produção excessiva de pele, reduzindo assim a inflamação e a descamação.

Por outro lado, quando utilizamos imunossupressores, isso significa que nosso sistema imunológico não irá funcionar muito bem quando se trata de defender o corpo contra vírus, bactérias, parasitas, etc. Sendo assim, ficamos mais vulneráveis há diversas doenças, em especial as respiratórias, como tuberculose, fibrose pulmonar e enfisema pulmonar, essas últimas sem cura.

METOTREXATO é usado: artrite reumatóide grave, psoríase grave; etc.

CICLOSPORINA é usada: prevenção ou tratamento da rejeição em transplantes, psoríase grave, etc.

Efeitos colaterais

Alguns efeitos colaterais dos medicamentos incluem: perda de apetite, aumento do açúcar no sangue, tremor, dor de cabeça, pressão arterial elevada, vômitos, dor abdominal, prisão de ventre, úlcera no estômago, acne, febre, inchaço geral, baixo nível de glóbulos vermelhos e glóbulos brancos no sangue, baixo nível de plaquetas no sangue, alto nível de gordura no sangue, baixos níveis de magnésio no sangue, enxaqueca, inflamação no pâncreas, tumores ou outros cânceres, principalmente da pele, agitação, insônia, paralisia de parte ou de todo o corpo, rigidez no pescoço e falta de coordenação.

Para ambos os medicamentos há risco de má formação do feto, portanto mulheres não devem tomar esses medicamentos durante a gravidez, se há risco de gravidez, ou se elas estão amamentando. Homens que estão tentando engravidar suas parceiras também não devem tomar esses medicamentos.

Atenção: usando o Metotrexato é necessário que repor o ácido fólico, porque esse medicamento retira toda essa substância do nosso organismo. O ácido fólico é super importante na formação das células, incluindo as de defesa.

Imunobiológicos

Depois do DNA e células tronco houve um salto enorme a respeito da cura de certas doenças não é? Pelo menos as promessas são bem positivas.
Um exemplo foi a criação dos medicamentos biológicos que são produzidos através de células vivas. Eles agem no SISTEMA IMUNOLÓGICO (responsável pelas defesas do organismo) mudando ou corrigindo a forma como ele funciona, revertendo assim doenças como a psoríase.

E como isso acontece?

Vamos lá, a psoríase é uma doença auto imune, isto é, por um “defeito” no nosso sistema imunológico (que é o sistema que defende o nosso organismo de vírus, bactérias , etc.) ele acaba atacando nosso próprio corpo, provocando alterações na células da pele e levando à psoríase.

Os medicamentos biológicos interrompem o processo que gera a inflamação e demais sintomas da psoríase.
Essa técnica tem funcionado muito bem para diversas doenças auto imunes, inclusive para quem sofre com as dores da artrite psoriásica.

Infelizmente não existem apenas notícias boas. Como os imunobiológicos alteram nosso sistema de defesa, ficamos mais vulneráveis, correndo risco de contrair doenças respiratórias, por exemplo.

A parte boa da história é que assim como a ciência das células tronco, os imunobiológicos tem evoluído muito e hoje temos medicamentos mais seguros e eficazes, como o Secukinumab, apresentado pela Novartis recentemente e que promete superar o Stelara no tratamento da psoríase!

Alguns medicamentos biológicos utilizados no tratamento de Psoríase e Artrite Psoriásica:

Eetanercepte – ENBREL
Infliximabe – REMICADE
Efalizumabe – RAPTIVA
Adalimumabe – HUMIRA
Ustecinumab – STELARA
Secukinumab – COSENTYX
Golimumabe – SIMPONI
Ixekizumabe – TALTZ

Avada WordPress Theme