DIFERENTES GRAVIDADES DA PSORÍASE

*post patrocinado – autor Novartis

O quanto a psoríase afeta a sua vida?
Engana-se quem pensa que a gravidade da psoríase é determinada apenas pela extensão das placas pelo corpo, ou seja, que a psoríase mais grave é aquela que atinge o maior percentual da pele. A extensão das lesões é sim um dos fatores que ajuda a determinar a gravidade da psoríase, mas não é o único – e nem o mais importante. (1)
Quem vive com psoríase sabe que as consequências da doença vão muito além das questões dermatológicas…Não são raros constrangimentos no trabalho, na academia, no salão, podendo levar até a depressão. Justamente por isso, o consenso brasileiro de psoríase (1), considera que impacto da doença na qualidade de vida dos pacientes é o principal fator para determinar a gravidade da psoríase.
Conhecer a gravidade da sua psoríase pode ser um passo importante para viver com mais qualidade e utilizar os recursos adequados para combater a doença. Mas antes de ‘pirar’ por achar que sua psoríase é isso ou aquilo, tenha em perspectiva que (1) somente o médico pode definir a gravidade da sua psoríase e; (2) hoje já existem tratamentos para psoríases de todas as gravidades (2) e muitas pesquisas em andamento, ok?
Conheça as 3 gravidades da psoríase:
A psoríase pode ser dividida em três diferentes gravidades: leve, moderada e grave (1), da seguinte forma:
Psoríase leve: é a mais comum, atinge 65% dos pacientes (3). A psoríase leve abrange a menor extensão da pele do paciente (até 2% da área corporal) e, principalmente, não altera sua qualidade de vida. (1​)
 
Psoríase moderada: representa 25% das pessoas com psoríase. Atinge de (2) a 10% da área corporal (1) e afeta a qualidade de vida dessas pessoas.
Psoríase grave: é a que afeta o menor percentual de pessoas com psoríase (representa 10% dos pacientes) (3), mas a que mais impacta na qualidade de vida delas. A psoríase grave atinge mais de 10% da área corporal e, neste caso, o paciente está disposto a correr riscos para melhorar sua qualidade de vida, aceitando inclusive tratamentos que possam ter efeitos colaterais significativos. (1)
Há também alguns outros fatores que o médico vai considerar para determinar a gravidade da psoríase:
  • sua atitude em relação à doença; (1)
  • o acometimento de áreas específicas como rosto, mãos, pés, genitais e unhas, por exemplo; (1)
  • sinais e sintomas adicionais, como sangramento das placas, febre, dor, rigidez articular e coceira (prurido).(1)
Vale lembrar que essa classificação não necessariamente tem relação direta com outra classificação da doença, bastante conhecida, relacionada ao tipo da psoríase. Neste caso, a psoríase é dividida em oito grupos, como a psoríase em placa (caracterizada pelo aparecimento de placas avermelhadas e espessas na pele); psoríase gutata (que consiste em numerosas lesões em forma de gotas); e assim por diante. (4)
Para saber mais clique aqui!
Não se esqueça! Mais importante do que conhecer a gravidade da sua psoríase, é saber que há meios para combater a doença! (1), (2), (4)
Referências:
  1. Consenso Brasileiro de Psoríase. Disponível em http://www.solapso.org/archivos/consbra.pdf. Último acesso em março de 2015.
  2. Site WebMD. Disponível em http://www.webmd.com/skin-problems-and-treatments/psoriasis/expck/severe-psoriasis. Último acesso em 13 de outubro de 2015.
  3. Site da National Psoriasis Foundation. Disponível em http://www.psoriasis.org/document.doc?id=354. Último acesso em setembro de 2013.
  4. Site da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Disponível em http://www.sbd.org.br/doencas/psoriase/. Último acesso em 13 de outubro de 2015.
2018-09-22T11:56:59+00:00

Um Comentário

  1. Salmira Dias 21 de novembro de 2018 at 10:57 PM - Reply

    Nossa muito bom seu artigo,gostei de mais. Parabéns viu!

Deixe o seu Comentário